Bem-vindos, nobres espíritos!

Sintam-se em casa em minha humilde morada. Aqui vocês encontrarão alguns de meus loucos textos que ora lhes convido a ler e, se assim desejarem, comentar...

outubro 16, 2008

Sonho de uma Vida Real

Mais um estranho pesadelo. Já era o segundo só esta semana, e ela mal havia começado.


Comecei minha jornada onírica em meio a uma floresta de concreto, ornamentada com um padrão repetitivo de cores frias, quase mortas. Enormes àrvores ocas de argamassa e aço se erguiam à minha volta - um lembrete de minha própria insignificância dentro daquele reino.

Andei durante algum tempo, logo me cansando pela inalação da névoa densa que me cercava – um ar viscoso e pegajoso, quase sólido e de cor escura, que ao aspirar causava grande incômodo às narinas em troca de pouco sustento para os pulmões.

Parei ao encontrar um aglomerado de macacos sem pêlo, todos catatônicos, entorpecidos por algum motivo obscuro. O silêncio só era quebrado pela balbúrdia de um contínuo estouro de enormes e estranhos animais nas cercanias.

Então, um destes animais – desprovido de pelagem e com uma carapaça dura como metal - parou diante do grupo, aparentemente convidando-nos a nos deixar levar por ele. Nos acomodamos em seu lombo onde já aguardavam outros destes apáticos símios, e o estranho ser partiu.

Paramos em uma gigantesca árvore de concreto oca, onde rapidamente entrei com meus companheiros babuínos.

Fica difícil, após este ponto, relembrar exatamente dos eventos que se sucederam – afinal, a passagem do tempo não segue uma estrutura fixa no reino de Morfeu – mas sei, de uma maneira geral, que esta foi a pior parte do sonho: junto com os macacos que me acompanharam, realizei diversas tarefas que lembro ter desempenhado anteriormente – todas repetitivas, tediosas e, se bem me recordo, sem qualquer finalidade prática.

Uma lenta e excruciante tortura do começo ao fim.



Então, depois de muito tempo, pareço ter feito o caminho inverso de volta ao local onde comecei a sonhar e, cansado, fecho os olhos para finalmente me libertar desta terrível jornada.

Esta é a rotina que me acompanha por toda existência. Meu único sonho, meu eterno pesadelo recorrente.


Ao menos, ao final, sempre alcanço a redenção: meu triunfal retorno à realidade, que afasta o gosto amargo de meus dissabores oníricos.

É nela em que posso, finalmente, voar como um pássaro, salvar o mundo como um super-herói, acreditar na existência do amor – enfim, simplesmente ser feliz.


Autor: Jarbas Lima Alves da Silva


(Sonho e Realidade são duas faces da mesma moeda)

31 comentários:

Janaína Moraes disse...

É muito comum as pessoas confundirem os sonhos com a vida real.
Falo isso pq sou uma delas, tenhos sonhos que queria que se tornassem realidades e as vezes, encaro a realidade como sendo um sonho.
Me perco nisso tudo, perco as pessoas que estão por perto e as que pensei que existissem.
Passa no Estórias.

... disse...

Muito bom para um simples escritor frustrado...


um abraço!

simone disse...

Muito bacana o seu blog...gostei de verdade!

Romulo disse...

Comenta no meu

www.nemvi.blogspot.com


e participe do Blog Arena

Tico disse...

legal

Ellen Regina - facetasdemim disse...

Nooossa, Feänor (é esse seu nome mesmo ou é o nome do "Lobo"?,srsrsrs) eu me vi em sua narrativa, até em um pouco da sua história... tb sou uma pretensa escritora, um pouco frustrada por não ter conseguido publicar meus textos ainda, mas com esperanças de que um dia essa sorte mude e o sonho vire realidade ou vice-versa.

Vanessa disse...

vc escreve de um jeito como se a gente estivesse participando desse sonho...muito legal mesmooo
agora esse negocio de confundir sonho com realidade é complicado... e digo isso pq sou uma pessoa sonhadora, eu viajo na maionese legal as vezes...
Belo blog, gostei de verdade!!!
Bjooo

yoko disse...

Você é muito critivo! Gostaria muito de ter esse dom! Parabéns, espero mais post interessantes. Bjs

Aprendendo a Língua Japonesa

Andrea Vaz disse...

Mais uma vez aqui...Texto interessante entre o sonho e a realidade.

Aguardo sua visita:
http://rascunhosdeandreavaz.blogspot.com

Alexandre Silva disse...

Vanilla Sky??

Sonho, realidade, Lucid Dream... parece misturar tudo aí. Ótimo texto cara, passa rapidão
Abraço
http://falandoprasparedes.blogspot.com

Inquilino do Sublime disse...

esqueca shopenhauer !
abrace nietzsche, proust e kafka!
seus lapis de cinza terao tds as formas e cores!

Victor disse...

Amay o layout

:)

Pcod disse...

sinistro =O



Link LoL

Michel Domenech disse...

Muito bom o conto, extremamente bem escrito... uma vez ouvi uma história de determinado filósofo cujo nome não me lembro, que falava dessa confusão entre sonho e realidade, pois ele não sabia se determinado ser tinha sonhado que era uma borboleta ou no presente momento era uma borboleta e estava sonhando que era um ser humano.

Parabéns pelo blog

Suellen Pereira Rodrigues disse...

Olha, ele não tirou fotos e talz, mas foi super simpático.
Ah dessa vez o suco era de manga :| baita ruim.. HAHAH quando eu fui no altas horas foi de maracujá, mas Band é mais chique é COCA-COLA mesmo HAHAHAHAHHA :D

Suellen Pereira Rodrigues disse...

Talvez. AHAHAH
Ah o lanchinho eles dão só no final do programa :~ UHAUHAUAH
Só na Band que eles deram antes do CQC :D

Outra coisa, eu acho São Paulo mara, assim que me formar to me mudando pra lá..

Gonzo Laranja disse...

poxa... que aventura/sonho hein...
interessante a forma de como tu escreve: consegue narrar cada detalhe para imaginarmos tal situação...
parabéns...

um abraço

www.gonzolaranja.blogspot.com

Suellen Pereira Rodrigues disse...

Santos também é uma opção, eu sou de lá.
mas eu realmente sou apaixonada por são paulo, com trânsito ou sem trânsito.
eu gosto dessa loucura.

Jonathan Alves disse...

Quando vejo textos assim, vejo q os elogios que recebo não valem mais do que um incentivo para eu tentar melhorar.
muito bom cara!

incriveiscarros disse...

Blog manêro !!!

Nota 10 !!!!!



abraço

Iza disse...

Cotovelo apoiado na aba do teclado, mãos no queixo, mouse apontando cada palavra( para não perder nenhuma) e a imaginação solta conforme os fatos vão sendo narrados...É assim que fico quando entro nos blogues de meus escritores favoritos... Viajo junto com o autor...imaginando cada cena, cada detalhe... dá para sentir o que o autor sente quando escreve.
...
Beijos!

Pan Box disse...

Tava na cara que era piada, mas essa do marketing me fez rir por meia hora, HAHAHAHAHAHAHA.

A ufologia me faz rir que tu nem imagina, mas eu tinha que postar essa da propaganda da banda e tudo mais, muito sensacional. >DDD


=****

Pan Box disse...

EPA! Tem vídeo de explicação do porquê não vieram?

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Cara, passa isso pra mim.

=***

Pan Box disse...

HHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA! E ainda olharam o mapa de cabeça pra baixo!
E se dizem seres inteligentes!! >DD


Ufologia é realmente mais engraçado do que eu imaginava.


Guerra das polícias? Sei lá, estou realmente por fora quando não deveria estar.


=***

Aline Christall disse...

Adorei a narrativa, gostaria de ter no dom "frustrado" de escrever assim.

Caio Mariani disse...

Jarbas,

Não sei se o que voce quiz dizer com o sonho e com a realidade, mas penso que voce não quiz dar um significado solipsista como alguns comentaram, penso que voce quis colocar que o sonho (ou pesadelo), que na verdade me pareceu ser a realidade de todos os individuos, ser uma negação do ser, pois as tarefas não são pragmaticas para a essencia do ser (como voce conclui) nem interressantes, porem necessarias para a sobrevivencia, logo um pesadelo.

E quando o ser sai dessa tarefa mecanica, e se encontra em sua suposta liberdade de ser, se encontra em sua realidade.

Não sei se foi isso, mas foi isso que eu entendi, se fosse dar a minha opinião teria que escrever um texto. Mas muito bom o texto, queria que voce me confirmasse se é isso mesmo.

Abraços

kilder disse...

mto bacana o seu texto!!! bem legal...
bom fds!

Eri Kay, Blog da Eri disse...

Olá!

Olha, eu não tenho mais viajado a trabalho, não... Uma pena, rsss.

Coloquei mais uma fotinho da Grécia no blog. Passa lá pra ver quando der.

Bjs

Pan Box disse...

Vamos esperá-los no dia da mentira, HAHAHAHA.

Até lá eu posto outras coisas.


=***

Maria disse...

Hahaha. Acho que, numa viagem dessa grandeza, pode se pôr uma margem de erro de alguns anos, não? Continuo com medo..

beijo

Rosane ! disse...

Nunca sei a diferença entre sonho e realidade. Afinal, tudo não passa de um sonho, uma mera lembrança, um esboço de imagem quase apagada (passado, futuro), exceto o presente minuto que vivo, que na maioria das vezes deixa de ser real pra se tornar surreal.

Esse seu conto, esse cenário, me faz lembrar da história do Senhor dos Anéis. Quem sabe um dia não vire uma trilogia?

Bjos.